01/10/2021 às 19h47min - Atualizada em 01/10/2021 às 19h47min

Audiência reúne políticos e sociedade civil pelo “voto útil” em deputados de Cascavel

O intuíto é eleger o máximo possível de representantes de Cascavel, nas eleições para deputado estadual e federal em 2022

Clic Paraná
Imprensa/CMC
Flávio Ulsenheimer/Assessoria de Imprensa/CMC

A Câmara Municipal promoveu, na manhã desta sexta-feira (1º), uma audiência pública em defesa do chamado “voto útil”, com o tema “Cascavelense vota em

cascavelense”. O encontro trouxe lideranças políticas ao Legislativo para discutir a importância de se eleger o máximo possível de representantes de Cascavel nas eleições para deputado estadual e federal em 2022.

Proposta pelo presidente da Câmara, Alécio Espínola (PSC) e pelo Dr. Lauri (PROS), a audiência contou com a presença das associações representativas do comércio, indústria, órgãos de segurança, pastoral política da Arquidiocese de Cascavel, partidos políticos, representantes da saúde e educação, secretários municipais e vereadores. Entre os parlamentares, além dos proponentes da audiência, compareceram Beth Leal (Republicanos), Josias de Souza (MDB), Tiago Almeida (DEM), Policial Madril (PSC), Soldado Jeferson (PV), Sadi Kisiel (Podemos), Melo (Progressista), Cidão da Telepar (PSB), Serginho Ribeiro (PDT), Edson Souza (MDB) e Celso Dal Molin (PL), que também representou a Ordem dos Pastores de Cascavel (Opevel).

O Poder Executivo foi representado pelo vice-prefeito Renato Silva. Entre as entidades da sociedade civil, compareceram Assis Marcos Gurgacz, vice-presidente da Acic, Rafael Brugnerotto, da OAB, Onazir Conceição, vice-presidente da APAE, Paulo Valini, vice-presidente do Sindicato Rural, Sérgio Brum, do Sindilojas, Adelino Vetorello, da Sociedade Rural do Oeste, Luiz Sérgio Wosiack, da Associação de Micro Empresas de Cascavel, o empresário e ex-deputado Nelson Padovani e seu filho o ex-vereador Nelsinho Padovani. Padre Zico se fez presente e falou em nome da Pastoral Política da Arquidiocese de Cascavel. O evento contou também com a presença de dirigentes dos partidos MDB, PRTB, PTB, Novo, Podemos, DEM, PSDB e Solidariedade.

“Em 12 meses serão realizadas novas eleições e Cascavel tem um grande potencial para eleger bons representantes na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados”, afirma Alécio Espínola, que defende que a cidade não abra mão dessa representação. Cascavel tem 223.090 eleitores e conta hoje com quatro representantes na Assembleia Legislativa do Paraná, os deputados Coronel Lee, Márcio Pacheco, Gugu Bueno e Professor Lemos e dois deputados na Câmara Federal, Evandro Roman e Hermes Frangão Parcianello. Em legislaturas anteriores, os cascavelenses já conseguiram eleger cinco deputados estaduais e quatro deputados federais.

Como representantes da região, os deputados conhecem as principais necessidades da cidade, podem defender bandeiras específicas, fiscalizar obras e investimentos, intermediar parcerias e trazer recursos para obras e ações através de emendas parlamentares. Além disso, representantes de Cascavel estão mais próximos da população e mantêm escritórios na cidade, o que torna seus mandatos mais acessíveis à comunidade.

“Tivemos bons representantes locais que não se elegeram porque não alcançaram a votação, enquanto muitos votos de cascavelenses, respeitando a democracia, acabaram indo para candidatos eleitos que nunca vieram aqui”,

defende Dr. Lauri. Segundo ele, cerca de 40 mil votos foram dados em Cascavel para candidatos de outras regiões nas eleições estaduais e 95 mil votos para deputado federal. O vereador fez a exposição técnica da audiência, apresentando todos os números de votos dados nos candidatos e o retorno de recursos para a cidade.

Encaminhamentos

Depois de várias contribuições e ponderações dos presentes à audiência, ficou definida uma lista de encaminhamentos, conforme registrado na ata da audiência:

  1. Que os partidos políticos montem comitês de avaliação e qualificação dos candidatos, para que possam oferecer sempre o melhor serviço à população, com pessoas capacitadas para os cargos que irão ocupar, além de uma limitação do número de candidatos que irão concorrer às eleições;
  2. Repensar o slogan da Audiência Pública ‘’Cascavelense vota em cascavelense’’, para que não sejam excluídos os candidatos de cidades vizinhas que também contribuem com o desenvolvimento de toda nossa região;
  3. Campanha de conscientização para que a sociedade possa analisar melhor seu voto e depositar em candidatos de Cascavel e região, sensibilizando todos os votantes e demonstrando a importância de elegermos pessoas do Oeste do Paraná, para que possam interpelar pelos anseios da nossa comunidade;
  4. Que seja montado um comitê com algumas entidades, sendo elas: OAB, Pastoral, Opevel, Associação de Moradores, Conselho das Associações e Moradores, Amic, Acic, Apae, Apofilab, Cemic, Representantes dos partidos, Interact Jovem, Atléticas Universitárias e Programa Oeste de Desenvolvimento que representará o tema da Audiência Pública do Voto Útil, para que dê andamento nos debates, analise as ideias e possa colocar em prática;
  5. Que os candidatos tenham um foco maior de ações do que Cascavel necessita, estabelecendo temas principais para nossa cidade, e estejam comprometidos em atuar em conjunto para resolvê-los;
  6. Que sejam feitas campanhas permanentes sobre o voto útil na região norte, sul, leste e oeste de Cascavel;
  7. Explicar para a população a função de cada agente político na sociedade, Deputado Estadual ou Federal, explicar também como funcionam as emendas parlamentares.

A audiência foi transmitida pelo portal da Câmara e pelas redes sociais, onde pode ser encontrado o vídeo com a íntegra das discussões.


Notícias Relacionadas »
Comentários »
Moeda Valor
Servidor Indisponível ...