15/08/2022 às 19h17min - Atualizada em 16/08/2022 às 03h20min

Câncer no canal anal: médico oncologista explica mais sobre doença rara

Dr Diego Santos tem formação no maior Centro Oncológico da América Latina

DINO
http://commonike.com.br
Dr. Diego Santos, médico oncocirurgião


Nos últimos dias, tem se falado muito no Brasil todo sobre um tipo de câncer, localizado no final intestino. Esse tipo de câncer ocorre no canal anal e nas bordas externas do ânus. Os tumores malignos surgem em tipos diferentes de tecidos, sendo, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o carcinoma epidermoide responsável por 85% dos casos nessa localização.

O câncer de canal anal é raro e representa de 1 a 2% de todos os tumores colorretais. O intestino é dividido em dois: fino e grosso. O grosso é composto por ceco e cólon ascendente, cólon transverso, cólon descendente, sigmoide, reto e, por fim, o canal anal/ânus. A doença citada tem como principal fator de risco o Papilomavírus Humano (HPV), responsável também pelo câncer de colo de útero (terceiro mais comum nas mulheres).

Conforme o médico oncologista, Diego Santos, o tratamento da comorbidade é diferente dos demais segmentos do intestino grosso. “Na maioria das pacientes ele é tratado com quimioterapia e radioterapia. A depender do estágio e resposta ao tratamento instituído, pode ser necessário cirurgia (geralmente quando há não resposta)”, disse. O ideal é ir frequentemente ao médico para consulta de prevenção, no mínimo uma vez ao ano, e se a pessoa já tem casos na família, em parentes de primeiro e segundo grau, ideal fazer avaliações com mais frequência.

A colonoscopia é um exame cujo objetivo é permitir que o médico examine possíveis lesões e doenças dentro do intestino grosso. Na ocasião é usado um aparelho endoscópico chamado colonoscópio. O colonoscópio é um longo e fino tubo flexível, com comprimento que pode chegar até aproximadamente 185 cm e um diâmetro que varia entre 1,0 e 1,3 cm. A colonoscopia é feita através da introdução do colonoscópio pelo ânus e progressão do mesmo até o início do cólon e final do intestino delgado.

O cirurgião oncológico Dr Diego Santos tem uma formação no maior centro de oncologia da América Latina e experiência em tumores, inclusive de intestino.

Mais informações:

Assessoria Commonike



Website: http://commonike.com.br
Notícias Relacionadas »
Comentários »