11/08/2022 às 16h33min - Atualizada em 12/08/2022 às 00h00min

Fundo gerido pela Valetec Capital investe em startup ligada à indústria 4.0

Açolab Ventures, fundo de CVC da empresa ArcelorMittal e gerido pela Valetec Capital, acaba realiza aporte na Sirros, startup que que provê tecnologia na forma de hardwares e softwares, auxiliando empresas na digitalização de suas linhas de produção

DINO
http://www.valetec.com.br


O investimento em startups como estratégia para o fomento de soluções tecnológicas tem sido cada vez mais recorrente por parte de empresas de todo o mundo. Como estratégia complementar à atividade de fusões e aquisições, muitas companhias criam fundos de investimento para realizar aportes minoritários nestas empresas que, embora muitas vezes sejam de pequeno porte, detêm grande capacidade de inovação. São os chamados fundos de investimento Corporate Venture Capital (CVC), que, em 2021, movimentaram US$ 169 bilhões (o equivalente a R$ 870,5 bi), de acordo com dados do relatório State of CVC, da plataforma estadunidense de inteligência de mercado CB Insights.

Há um grande desafio, no entanto, para grandes empresas neste processo de aporte financeiro já que, além do amplo trabalho de seleção das oportunidades, que geralmente envolve a análise de uma vasta gama de empresas para realização de cada investimento, há toda uma lógica de contratos, negociação, direitos de governança e aspectos econômicos desses investimentos que deve obedecer a particularidades do universo das startups.

Neste cenário, gestoras como a Valetec Capital, atuam de forma especializada na gestão de fundos de CVC, auxiliando grandes empresas a adentrar o mundo das startups. Uma destas corporações é a ArcelorMittal, cujo fundo Açolab Ventures, criado em 2021 e ligado a ela, recentemente realizou seu segundo investimento. Após fazer em 2021 seu primeiro aporte na empresa Agilean, startup de tecnologia para a construção civil, agora, juntamente com os investidores da Randon Ventures e do Grupo BR Angels, fez um investimento na empresa Sirros, startup do universo da indústria 4.0.

A Açolab Ventures é um fundo de R$ 110 milhões que tem por objetivo investir em empresas que possuam sinergia estratégica com os negócios da ArcelorMittal, tais como empresas ligadas ao universo da construção civil, siderurgia, mineração, indústria 4.0 entre outros temas. Já a Sirros, que recebeu este segundo aporte do fundo corporativo da ArcelorMittal, é uma empresa que provê tecnologia na forma de hardwares e softwares, auxiliando empresas na digitalização de suas linhas de produção.

Para Fábio Campos, da Valetec Capital, gestor do fundo Açolab Ventures, a evolução da Sirros traz uma oportunidade para acelerar a adoção de tecnologia e o caminho para a indústria 4.0 no Brasil. “A Sirros está conseguindo trazer tecnologia e conectividade para grandes indústrias de modo ao mesmo tempo simples e poderoso” diz. “A possibilidade de conectar e extrair dados de máquinas inteligentes ou não e trabalhar estas informações usando algoritmos próprios, do cliente ou de terceiros se traduz em um grande espectro de possibilidades, acelerando a tendência da indústria 4.0 de forma ampla e escalável”, completa.

O executivo ressalta que a tese de investimento criada pela Valetec Ventures é conhecida no meio corporativo por “Taylor Made”, que indica uma personalização sob medida para cada cliente. “Uma tese ‘Taylor Made’ é quando uma gestora cria um fundo com premissas e direcionamento de investimentos que só vão funcionar para aquela corporação. É totalmente criado sob medida, cada empresa possui diferentes necessidades pelas quais está criando seu fundo”, explica Campos. 

“Os objetivos e anseios da Locaweb [outra empresa que possui fundo de investimento gerido pela Valetec], por exemplo, são totalmente diferentes da AcelorMittal ou da Anima educação. Mesmo sendo veículos de investimento ou caminhos realizados por meio do CVC, existem por propósitos diferentes”, pontua. 

De acordo com dados da plataforma Distrito, as startups brasileiras movimentaram cerca de US$ 9,4 bilhões (R$ 48 bilhões) em 2021. Em um evento recente, o MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações) informou que, em conjunto com CNPq e FINEP, deve disponibilizar um volume de investimentos de cerca de R$ 200 milhões em subvenção às empresas emergentes de base tecnológica.

Para saber mais, basta acessar: www.valetec.com.br



Website: http://www.valetec.com.br
Notícias Relacionadas »
Comentários »