16/06/2022 às 09h38min - Atualizada em 16/06/2022 às 09h38min

Apae de Quedas do Iguaçu vai ganhar piscina térmica para atividades de hidroginástica, hidroterapia e natação

Este ano, a instituição completa 37 anos de funcionamento no município

Clic Paraná
Jheynefer Camargo
Prefeito Elcio Jaime, falando acerca da conquista para a APAE - Fotos BISPO
A prefeitura de Quedas do Iguaçu, vai construir na sede da Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) do município, uma piscina aquecida para atender os alunos com hidroginástica, hidroterapia e natação.

O anuncio foi feito pelo prefeito Elcio Jaime da Luz, na quarta-feira (15), durante a solenidade de assinatura da ordem de serviço, no gabinete do prefeito.

Elcio Jaime, comemorou a assinatura para o início da obra e disse que atribui a conquista à política de inclusão social de sua equipe de planejamento e a parceria com o deputado da base de apoio, Fernando Giacobo (PL), que enviou a emenda parlamentar federal.

 

A Apae de Quedas do Iguaçu, atualmente, atende alunos com deficiência intelectual e múltipla, de variadas idades. Este ano, a instituição completa 37 anos de funcionamento, com destaque para dois fundadores da APAE, o ex-prefeito Rudi Schaedler e Jair Fontanella, ambos agora secretários municipais da atual administração.



Conheça parte do histórico da APAE de Quedas do Iguaçu

No ano de 1985, a Escola de Educação Especial Bem-Me-Quer, nasceu quando a mãe de um menino portador da Síndrome de Down procurou o Colégio Estadual Pe. Sigismundo, para matricular seu filho e o mesmo não foi aceito por necessitar de Educação Especializada. A mãe procurou ajuda na Inspetoria, onde a Inspetora – Sra. Neuraci Anacleto Schaedler, sensibilizada pelo drama da mãe, procurou informações para a criação de uma APAE. A partir daí, foi contatada a Sra. Luiza, funcionária do NRE de Cascavel, que solicitou uma visita à APAE de Cascavel, a fim de conhecer seu funcionamento, na qual foi prontamente atendida pela Sra. Neuraci que conversou com a Diretora da APAE de Cascavel. Após conhecer o Estatuto da APAE, foi contatado o Sr. Flávio Arns, que na época, era Diretor do Departamento de Educação Especial, em Curitiba. A Inspetora Neuraci também visitou a APAE de Laranjeiras do Sul e conversou com o Dr. Chain, de Curitiba, o qual sugeriu que ela realizasse um levantamento para apurar quantos casos existiam no município. Fundamental, também, foi o apoio recebido da Profª. Marilda Quintas que possuía grande conhecimento por já haver trabalhado na APAE de Palotina. Ambas, Neuraci e Marilda, solicitaram a ajuda dos professores do 2º Grau que, coordenados pelo Prof. Augusto Domareski, solicitaram aos alunos que realizassem uma pesquisa; constatouse que 10% da população apresentavam alguma deficiência. Realizou-se então uma reunião com a família desses excepcionais e foi exposto a todos, o que seria a APAE. A Escola passou a funcionar em conjunto com Deficiência Mental e Deficiência Auditiva. O Prof. Flávio Arns e sua equipe visitaram a Escola e informaram aos responsáveis sobre os convênios que a APAE poderia firmar. Os recursos para a construção das salas foram conseguidos com a esposa do Sr. Álvaro Dias, FUNDEPAR e Prefeitura Municipal. Por um período, a Escola funcionou sem Diretor e Diretora, assumindo então a Direção, a Inspetora de Ensino – Sra. Neuraci Anacleto Schaedler. A escola iniciou com 07 alunos, aumentando progressivamente, ano a ano. Passou a funcionar anexo ao Colégio das Irmãs, atendendo alunos portadores de deficiência mental e deficiência física e, o primeiro programa oferecido foi Educação Pré-Escolar. No ano de 1987, o então Prefeito Sr. Rudi Schaedler, passou às mãos dos responsáveis, a primeira sede própria da APAE, onde até o ano de 2001, funcionou a Escola de Educação Especial Bem-Me-Quer. No ano de 2002 a escola mudou-se para uma nova sede, contando com maior espaço físico, para melhorar o atendimento oferecido aos alunos portadores de necessidades educacionais especiais. Assim como o alunado, os programas oferecidos pela escola, aumentaram ano a ano, com o intuito de cada vez mais, proporcionar um atendimento de qualidade. Em 1987, coma melhoria do espaço físico, foi criada a primeira turma de Estimulação Precoce atendendo alunos na faixa etária entre 1 e 3 anos de idade e, no ano seguinte, foi instaurada a primeira turma de Iniciação para o Trabalho. Atualmente, os educandos são atendidos nos seguintes programas: Educação Infantil (Educação Precoce e Pré-Escolar), Educação Escolar, Profissionalizante e Programa Pedagógico Específico sendo que nos últimos oito anos, foram desenvolvidos cursos profissionalizantes nas áreas de: produtos natalinos, artesanato, artesanato em madeira e cestaria, lavagem de carros, auxiliar de panificação e jardinagem, todos com ótimos resultados. A partir de 2000, ousamos e acreditamos que o computador seria nosso aliado; o professor com seus alunos, em horários específicos, faz uso do laboratório disponível na Escola que, atualmente, conta com 05 microcomputadores e 01 impressora e os mesmos são utilizados como ferramentas de apoio ao trabalho pedagógico desenvolvido em sala de aula. Nestas aulas, os alunos estão recebendo noções do que é um computador, o que podemos fazer com ele, como ligar, desligar, acessar sozinhos os jogos pedagógicos, inserir CD Room, movimentar corretamente o mouse e as utilidades do teclado. Através destes recursos, exploramos conceitos, memória, coordenação visomotora, atenção e concentração, conteúdos acadêmicos, entre outros. Os resultados superaram nossas expectativas, os alunos se realizam durante as aulas inclusive aqueles com maior comprometimento motor, estão realizando atividades que em sala de aula não conseguiam. Atualmente os computadores estão distribuídos em salas de aula para uso do professor com seus alunos. Em 1989, iniciamos com atividades físicas e desportivas. Em 1992, uma grande conquista, iniciamos com aulas de Educação Artística e Musical tendo resultados indescritíveis, podendo afirmar que foram fantásticos: participamos de Olimpíadas Regionais, Estaduais e Nacionais, sempre com ótimos resultados. Nossa escola participou de todos os Festivais Regionais “Nossa Arte”, bem como, encantamos a comunidade quedense com os números artísticos apresentados pelos educandos. Essas atividades contribuíram para a sociedade percebesse e acreditasse no potencial mesmo. Hoje a escola conta com um professor de Educação Física e professores exclusivos para treinamento, conta também com professores especializados nas áreas de dança, música com aulas de teclado e coral. Em 1985, iniciamos nossas atividades com muita modéstia, pois contávamos apenas com uma professora especializada. Porém, acreditando na causa a que nos propomos e defendemos veementemente, buscamos melhorar cada vez mais nossa qualificação profissional e, hoje contamos com um quadro de profissionais devidamente habilitados. Paralelamente à evolução pedagógica, obtivemos várias conquistas na área administrativa e financeira. O primeiro convênio firmado foi o termo de cooperação técnico-financeira, com o Instituto de Assistência ao Menor do Estado do Paraná, em 1987. No trabalho reabilitador que nos propomos fazer, tendo como objetivo a melhoria na qualidade de vida de nossos educandos, iniciamos a equipe técnico-pedagógica com uma fonoaudióloga e, atualmente, a Escola possui uma equipe completa composta de: psicóloga, coordenadora pedagógica, fonoaudióloga, fisioterapeuta, assistente social, psiquiatra e terapeuta ocupacional para a realização de trabalhos junto aos familiares. No ano de 1987, foi firmado o primeiro convênio com a LBA bem como, a primeira verba recebida através de projeto SEESP/MEC. E, desde 1989, a Associação mantém convênio de amparo técnico-financeiro, com a Secretaria de Estado da Educação. Em dezembro de 1993, a APAE obteve isenção da quota patronal junto ao INSS. Quanto à documentação legal, a Entidade filiouse à Federação Nacional das APAEs em 12-03-86; Utilidade Pública Municipal em 29-09-86; Utilidade Pública Estadual em 01-10-91; Utilidade Pública Federal em 26-08-93; Registro no CNAS em agosto de 1990; CEFF em setembro de 1993.

 
Notícias Relacionadas »
Comentários »